terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A Vasectomia Melhora a Vida Sexual, é Reversível e pode ser feita pelo SUS

A vasectomia é um procedimento cirúrgico que interrompe a circulação dos espermatozóides produzidos pelos testículos e conduzidos através do epidídimo (tubo em forma de novelo que se localiza na parte superior dos testículos) para os canais deferentes que desembocam na uretra.
Trata-se de um método de contracepção muito seguro que secciona os dois deferentes. Muitos homens, porém, se recusam a fazer essa cirurgia porque imaginam que ela possa provocar distúrbios de ereção, no que estão completamente enganados. A vasectomia não interfere na produção de hormônios masculinos nem em seu desempenho sexual.
É interessante notar que grande parte dos homens brasileiros não se incomoda que suas mulheres façam laqueadura das trompas (uma cirurgia mais invasiva), mas foge da vasectomia como o diabo da cruz.

Como é feita a cirugia?
A vasectomia é uma operação realmente muito simples. O indivíduo não precisa estar em jejum. Na sala de cirurgia, é feita uma pequena infiltração local com anestésico e uma incisão de 1cm em cada lado do saco escrotal. O maior desconforto que o paciente experimenta é quando o médico isola digitalmente os deferentes, canais que levam os espermatozóides do epidídimo para a uretra e anestesia de novo. A seguir, corta-se o deferente, interpõe-se tecido conjuntivo entre os dois pontos para não recanalizar e fecha-se a incisão. Pronto. O indivíduo está liberado para voltar para casa. Muitos saem do hospital e vão direto para o trabalho sem problema.

Quando se pode fazer a reversão da vasectomia?
A reversão da vasectomia é um ato tecnicamente viável e possível. Se a reversão for feita três ou quatro anos depois da vasectomia, em 90% dos casos o espermograma é bom e, em 70% existe a chance de a mulher engravidar.
Que esperança pode ter um homem de reverter a vasectomia feita dez anos antes?
Existem tabelas mostrando que ele pode reverter o processo e qual a expectativa em relação aos resultados. Reverter significa repermeabilizar os deferentes e, eventualmente, obter espermatozóides. O índice de gravidez, porém, cai com o tempo. Dez anos depois de feita a vasectomia, a probabilidade de gravidez oscila entre 30% e 40%.

Cirurgias são oferecidas pelo SUS
Para fazer a operação pelo SUS, a idade mínima é 18 anos. Pacientes até 25 anos precisam ter, no mínimo, dois filhos. Segundo o SUS, para os que têm mais de 25 anos, não é preciso ter filhos. Os interessados precisam aguardar dois meses para fazer a cirurgia e, nesse período, passam por um acompanhamento médico e psicológico.

Fontes: G1 e Site Dr. Drauzio Varella

4 comentários:

Humberto de Souza disse...

Oi
È ruim eu fazer isso, vai que eu preciso casar de novo, e a gambiarra não reverte. xô pra lá !
um abraço

Jackie Freitas disse...

Olá Ana!
Muito interessante as informações! Meu marido pretende fazer em breve (espero!!!) e sempre lê coisas do tipo. Acho que está ainda criando coragem, mesmo que digam que o procedimento é simples. Para alguns homens, o fato de saberem que não mais procriarão...rsrs..é confundido com perda de virilidade ou algo parecido. Mas acho que é uma das melhores opções contraceptivas.
Grande beijo,
Jackie

susana disse...

Meu marido fez a entervenção há 5 anos e estamos super contentes , ele aconselha a todo o homen a que passe por esse prosseso e simples e facil.Ele diz que agora ate sente muito mais preser.
!!!! BISOU!!!!
SUSANA

Marcos Alexandre disse...

Ana Goulart tenho receio não pela cirurgia mas sim como existem muito erros medicos que me deixa muito nervoso e preocupado pois eu sei que é seguro e eficaz mas mesmo assim fico com medo . Qual é o profissional e o hospital de referencia melhor que você pode me recomendar ?

Marcos Alexandre - Rio de Janeiro - RJ - Bairro Bangu

Aguardo a sua resposta anciosamente meu e-mail é marcosaapinto@hotmail.com

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger