segunda-feira, 2 de junho de 2008

Guia de primeiros socorros

Um desmaio, uma convulsão, um corte, um engasgamento ou até um acidente de trânsito são situações que costumam deixar as pessoas nervosas e, ao mesmo tempo, dispostas a ajudar as vítimas. Mas é preciso saber como agir nessas horas para não piorar ainda mais a situação do acidentado.

“O mais importante é não perder a calma”, ensina a enfermeira Rita Simone Lopes Moreira, coordenadora do Centro de Treinamento em Emergências da Universidade Federal de São Paulo. “Se você não conseguir se controlar, dificilmente poderá ajudar a vítima.”

A especialista explica que, se o acidente acontecer na rua, o procedimento correto é isolar a área, tentar acalmar a vítima se ela estiver acordada e ligar para o serviço de emergência. “Nunca mova a pessoa nem dê água ou alimentos para ela”, alerta Rita Moreira. “Essas atitudes podem agravar lesões internas.” Quando o acidente acontece dentro de casa, também é preciso estar preparada para prestar os primeiros socorros. A enfermeira Silene Celerino da Fonseca, responsável técnica pelo sistema Samu de São Paulo, aconselha as pessoas a ter em casa um kit com alguns itens básicos de primeiros socorros. “Esse kit deve ter, no mínimo, gazes, ataduras, material anti-séptico e esparadrapos”, diz.

A seguir, saiba o que é certo e o que você deve evitar diante dos vários tipos de acidente. Assim, você estará preparada para agir se o momento chegar.

Situação: Atropelamento
O que fazer: Ativar o serviço de urgência (192 ou 193, dependendo da localidade); isolar o local, ou seja, deixá-lo livre e seguro para a vítima e para o atendimento e sinalizar o local.
O que NÃO fazer: Mexer na vítima, sem saber como se deve proceder e dar água ou alimentos à pessoa.

Situação: Desmaio ou forte tontura
O que fazer: Deitar a vítima confortavelmente; afrouxar as roupas e elevar as pernas. Colocar a cabeça de lado para evitar que a vítima se engasgue com vômito ou saliva e aguardar de 2 a 3 minutos: se a vítima recobrar a consciência, oriente-a a procurar um médico. Se isso não acontecer, solicite ajuda ou encaminhe-a ao pronto-socorro.
O que NÃO fazer: Dar cheiros fortes, como amoníaco ou álcool, para a vítima cheirar e tentar fazer a vítima sentar ou se levantar.

Situação: Acidente de carro
O que fazer: Ativar o serviço de urgência 192 ou 193 e informar o número de vítimas e, se possível, as condições delas; isolar o local, ou seja, deixá-lo livre e seguro para a vítima e para o atendimento. Por fim, sinalizar o local.
O que NÃO fazer: Tirar a vítima de dentro do carro (a menos, claro, que haja risco de incêndio).

Situação: Convulsão
O que fazer: Proteger a vítima, afastando objetos perigosos de sua proximidade e colocá-la de lado para evitar que engasgue com a saliva. Recomenda-se deixar que a saliva escorra, permitindo que a pessoa respire. Ainda deve proteger a cabeça da vítima apoiando-a sobre um travesseiro, almofada ou qualquer objeto macio (blusa ou toalha dobrada); afrouxar as roupas e, se a crise durar mais que 5 minutos, quando possível, transporte-a para o hospital, mantendo os cuidados anteriores. A vítima deve ser orientada para os riscos de nova crise convulsiva e, portanto, não deve dirigir veículos ou ingerir bebidas alcoólicas. Deve ainda evitar lugares que possam ser perigosos, tais como beiras de piscina e lugares altos, e procurar atendimento hospitalar.
O que NÃO fazer: Tentar colocar objetos, como colher ou pano, dentro da boca da vítima, durante a crise convulsiva, na tentativa de que a língua não enrole. A língua não enrola!

Situação: Engasgamento
O que fazer: Incentivar a pessoa para que tussa. Se ela não conseguir expelir o objeto tossindo, ative o sistema de urgência o mais rápido possível.
O que NÃO fazer: Forçar a pessoa a olhar para o alto e elevar os braços dela para tossir, porque isso pode fazer com que o objeto que a está impedindo de respirar entre ainda mais nas vias respiratórias.

Situação: Sangramento de nariz
O que fazer: Pedir para que a pessoa incline a cabeça para a frente e apertar a narina que está sangrando durante 2 a 3 minutos. Se esse sangramento no adulto vier com dor de cabeça, procure o serviço médico.
O que NÃO fazer: Pedir para que a pessoa vire a cabeça para trás. Isso pode fazer a vítima engasgar com o próprio sangue.

Situação: Cortes
O que fazer: Lavar as mãos; expor o corte e pressionar diretamente o corte, se estiver sangrando. Lavar o ferimento com água e sabão neutro e cobri-lo. Elevar a parte cortada (esteja atenta à possibilidade de lesão óssea). Aguardar 5 minutos: se o sangramento persistir, busque ajuda médica.
O que NÃO fazer: Tentar estancar o sangue amarrando uma atadura ou outro tecido no membro atingido, acima do local de corte. Isso prejudica a circulação como um todo.

Situação: Queimaduras
O que fazer: Lavar as mãos e aplicar água corrente sobre a lesão. Cobrir a lesão com compressa umedecida em água, com panos limpos e manter a vítima hidratada e aquecida. Encaminhá-la ao socorro médico especializado.
O que NÃO fazer: Passar pasta de dente, pomadas ou qualquer outro produto na queimadura. Romper as bolhas. Lembre-se de que elas são uma reação de proteção do próprio organismo.

Situação: Intoxicação
O que fazer: Encaminhá-la para o serviço médico o mais rápido possível e tentar levar a substância ingerida junto. Isso poderá ajudar o atendimento.
O que NÃO fazer: Dar leite, água ou provocar vômitos na vítima.


Autor: Karina Fusco
Fonte

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger