sábado, 2 de fevereiro de 2008

Chimarrão emagrece!

A bebida típica do sul do País, considerada um alimento quase completo pelos especialistas, faz bem para a pele, coração e a respiração, além de garantir a perda de até 2 kg por semana.

Quem diria que o hábito gaúcho de tomar chimarrão diariamente, além de prazeroso, pode emagrecer. Pois a erva-mate se revelou muito eficaz na redução da gordura corporal. Estudos apontam que ela é rica em xantinas (cafeína, teofilina) e tem ação termogênica: aumenta o gasto energético e, simultaneamente, promove a lipólise, ou seja, a degradação das gorduras no nosso organismo. Por isso é utilizada como um coadjuvante em programas de emagrecimento.


Mas, para obter esse efeito, é preciso ingerir a quantidade adequada da bebida. A nutricionista e fitoterapeuta Vanderli Marchiori, de São Paulo, garante que os fi- toquímicos presentes na erva-mate facilitam a queima de gorduras. “Se uma pessoa tomar cerca de 1,5 litro de chimarrão por dia e mantiver uma rotina saudável, pode perder até 2 kg por semana. Prático de preparar e sem calorias, o chimarrão é ótimo também para a manutenção do peso”, revela.

Você sabia...

...que o processo de fabricação da erva-mate do chimarrão é diferente do conhecido mate tostado que estamos acostumados a consumir em chás? A erva é a mesma, porém a do chimarrão passa pelo processo de sapeco, secagem e moinho, garantindo assim mais benefícios nutricionais, enquanto a outra é apenas seca e tostada.

Erva do bem

O consumo da erva-mate está ligado ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental, atuando sobre os nervos e músculos, combatendo a fadiga, a sede e a fome, sem deixar efeitos colaterais, como insônia e irritabilidade. “Ela também tem fortes propriedades diuréticas e laxativas, por isso auxilia no emagrecimento”, revela a professora de Nutrição Gilberti Hübscher, especialista em fi- siologia cardiovascular, do Centro Universitário Feevale, de Novo Hamburgo, RS.

A bebida contém alcalóides (cafeína, metilxantina, teofilina e teobromina), taninos (ácidos fólico e caféico), vitaminas (A, B1, B2, C e E), sais minerais (alumínio, cálcio, fósforo, ferro, magnésio, manganês e potássio), proteínas (aminoácidos essenciais), glicídios (frutose, glucose, rafinose e sacarose), lipídios (óleos essenciais e substâncias ceráceas), além de celulose, dextrina, sacarina e gomas. “Por isso a erva-mate é considerada um alimento quase completo, pois contém a maioria dos nutrientes necessários ao nosso organismo”, afirma Vanderli.
O Instituto Pasteur e a Sociedade Científica de Paris fizeram um estudo sobre essa erva e relataram descobertas inacreditáveis. Os pesquisadores concluíram que ela contém praticamente todas as vitaminas essenciais para a manutenção da vida. Exagero ou não, pesquisas comprovam que a erva atua ainda sobre a circulação, acelerando o ritmo cardíaco e harmonizando o funcionamento bulbo-medular.

“Ela é considerada um ótimo remédio para a pele e reguladora das funções do coração e da respiração, além de exercer importante papel na regeneração celular”, observa Gilberti Hübscher, especialista gaúcha que há 15 anos estuda os benefícios da ervamate e a indica a seus pacientes. Segundo ela, a erva-mate contém altas concentrações de vitamina E, considerada eficaz na regulação das funções sexuais; além de possuir cálcio, magnésio, sódio, ferro e flúor, minerais indispensáveis à vida.

Como preparar o seu

1. Preencha a cuia (recipiente próprio) com 2/3 de erva-mate para chimarrão.
2. Tape a cuia e incline-a ao ponto de encostar a erva-mate em uma das laterais.
3. A água deve ser colocada na parte vaga da cuia. (Na primeira vez que fizer isso, use água morna, para evitar que se queime a erva, o que deixaria o chimarrão amargo). Depois da primeira dose, deve-se pôr água quente, mas sem que esteja em ponto de ebulição, ou seja, sem ferver.
4. Tape o bocal da bomba com o dedo polegar e coloque-a dentro da cuia, descendo-a rente à sua parede. Não deixe que ela se misture à erva, evitando o entupimento da bomba. Se a água descer depois que você retirar o dedo do bocal, seu chimarrão estará pronto para ser saboreado (sempre sem açúcar).

Tá quente, tá frio

A erva-mate (Ilex paraguariensis) é uma árvore originária da região subtropical da América do Sul, presente no sul do Brasil, Paraguai, Uruguai e norte da Argentina. Os índios das tribos guarani e quíchua tinham o hábito de beber infusões preparadas com suas folhas. Hoje em dia esse hábito continua popular nessas regiões, onde a erva é consumida bem quente – o popular chimarrão. Mas ela também pode ser usada para preparar uma bebida gelada, como o tereré, famoso no Mato Grosso do Sul e no Paraguai. Apesar de ser considerada digestiva e diurética, a bebida não é indicada a hipertensos ou para quem sofre de insônia e tensão emocional, que se manifesta por agitação e palpitações. “Pessoas com anemia também devem evitar a bebida, porque a teína diminui a absorção do ferro”, explica Gilberti Hübscher.

Fonte

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger