terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Remédio ajuda a emagrecer com efeito "antimaconha"

Um detalhe curioso da reação do organismo à maconha serviu de inspiração para uma nova estratégia de combate à obesidade. Segundo informa o site G1, ao manipular de forma inversa o mesmo mecanismo que gera a "larica" — nome dado popularmente ao aumento do apetite provocado pela droga —, pesquisadores conseguiram tanto diminuir a ingestão de comida quanto aumentar a queima de gordura em seres humanos. O resultado é a perda de até seis quilos em 12 semanas.

— Trata-se de um alvo totalmente novo para o controle de peso e ele funciona em regiões do cérebro na qual outras drogas não parecem agir — declarou Steve B. Heymsfield, cientista dos Laboratórios de Pesquisa Merck em Rahway, do estado americano de Nova Jersey. — É uma possibilidade muito empolgante, mas sempre é bom lembrar também que não existem fórmulas mágicas — alertou o pesquisador, que coordenou o primeiro estudo clínico do novo remédio.

Em artigo na revista científica Cell Metabolism, Heymsfield e seus colegas descrevem os resultados da aplicação do tarabanant, substância que já havia mostrado potencial anti-obesidade em estudos com animais de laboratório. A relação dessa nova droga com a maconha vem da interação dela com o chamado sistema endocanabinóide — um conjunto de moléculas do organismo humano que têm semelhanças com o princípio ativo da Cannabis (daí o nome).

Porta da fome

A ação do medicamento se dá sobre "fechaduras" químicas do sistema nervoso que a maconha também estimula. Esses receptores CB1, como são conhecidos, podem desencadear a sensação de fome quando são afetados. Portanto, um caminho óbvio para tentar segurar o apetite seria desbancar, de alguma forma, a atividade desses receptores. O problema, explica Heymsfield, é que "alguns receptores não ficam simplesmente ligados ou desligados, mas sempre têm algum nível basal de atividade".

O tarabanant, medicamento que está sendo testado, é capaz de reduzir essa atividade. Na nova pesquisa, financiada pela empresa farmacêutica Roche, os pesquisadores testaram essa estratégia em 533 pacientes, num programa de 12 semanas (o remédio é administrado por via oral). Divididos em grupos, alguns deles receberam uma substância inócua como forma de controle, enquanto outros receberam doses variáveis da substância. Nesse grande grupo, os pesquisadores verificaram uma diminuição de peso proporcional à dose recebida. Num dia, os participantes chegavam a ingerir até 20% menos calorias, além de aumentar a queima de gordura corporal.

A grande questão agora é validar a segurança do medicamento, explica o pesquisador. Como é comum nos remédios atuais para emagrecimento, existem efeitos colaterais fisiológicos (náusea, vômito e problemas intestinais) e psicológicos (ansiedade).

1 comentários:

Claudya disse...

Nossa, quem diria que a maconha tb. tem resultados bons! Se bem que, nos EUA tem hospitais que receitam a erva em pequenas doses prá tratamento psiquiátrico. Aninha, cadê o meme que vc. tinha me passado? Bjs.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger