quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Alimentação funcional e suplementos vitamínicos ajudam a amenizar crises de TPM

Dor de cabeça, retenção de líquidos, cansaço, crises de raiva e ansiedade, vontade de chorar... Sorte da mulher que nunca sofreu com os efeitos da tensão pré-menstrual (TPM). E, para quem já tentou desde as receitas da vovó até os antidepressivos e as pílulas anticoncepcionais mais modernas para amenizar os sintomas e não obteve sucesso, talvez a solução seja fazer mudanças drásticas na alimentação.

- O fenômeno da TPM é causado pela flutuação das concentrações cerebrais de serotonina, cálcio, magnésio e vitamina B6. A alimentação adequada é a grande fonte desses minerais e uma boa dieta ajuda quem tem crises leves e moderadas a amenizar os incômodos em até 60% - explica o endocrinologista Tércio Rocha, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

Mas, para perceber os efeitos, não basta incluir ou retirar alguns alimentos do cardápio. Para o médico, quem sofre muito com a TPM deve fazer testes para verificar se existem carências de vitaminas e minerais ou se existe alguma sensibilidade a certas comidas.

- Além do teste de intolerância alimentar, recomendo, para os casos mais graves, a eliminação total de leite e derivados, a redução da carne vermelha e da cafeína, e o aumento da ingestão de frutas, verduras cruas, água e suco de maracujá - diz Tércio Rocha.

A nutricionista Daniela Jobst, do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional, lembra que uma dieta rica em açúcar, gordura, sal e bebidas alcoólicas costuma piorar todos os sintomas da TPM. Para ela, as mulheres devem eliminar esses alimentos da dieta e incluir as principais fontes de vitamina B6 e magnésio na alimentação diária.

- Nozes, lentilha, couve, soja, azeite de oliva, arroz integral, peixe assado e banana são os melhores amigos da mulher. Mas não adianta ingerir esses alimentos uma vez ou outra. O certo é manter a alimentação equilibrada durante todo o mês - ensina.

Por mais difícil que seja a medida, Daniela Jobst sugere que os refrigerantes, as frituras e o chocolate também sejam banidos do cardápio.

- Esses alimentos têm a capacidade de ampliar os sintomas da TPM, e a mulher vai acabar se sentindo mal, mesmo achando que aquele chocolatinho ou aquele refrigerante com gelo vão fazê-la se sentir melhor. Uma dica é trocar o chocolate comum pelo de soja. Além de mais saudável, a soja contém fito-estrogênios, que ajudam a regular essas oscilações hormonais - ensina a especialista.

Tércio Rocha lembra que as mulheres que sofrem com a TPM devem dar atenção redobrada ao intestino.

- A alimentação vai influenciar diretamente o funcionamento do intestino, que é onde está a maior produção de serotonina do corpo. Quando a mulher está com o intestino preso, ela sofre duas vezes. Vai ter uma baixa de serotonina e ficar de mau humor, irritada, chorosa, impaciente e emocionalmente descontrolada, e vai sofrer com cólicas, dores, gases e desconforto na região abdominal - revela o médico.
Suplementos ajudam regular compulsão por doces

É melhor evitar o chocolate

Segundo Tércio Rocha, o corpo feminino é programado para procurar alimentos que suprem a carência de vitaminas e minerais nessa fase. É por isso que quem sofre com a TPM geralmente cai de boca em um chocolatinho.

- O cérebro tem memória química e sabe perfeitamente que tipo de alimento ele precisa para fazer o corpo se sentir melhor. O chocolate é uma fonte de minerais que geralmente estão em falta na mulher e ainda ajuda a descarregar grandes quantidades de serotonina e endorfina - diz.

Mas como o chocolate é recheado de açúcar e gordura, seu efeito geralmente dura pouco e o mal-estar pode voltar em dobro. Por isso, o ideal é buscar suplementos que suprem as carências do organismo. Entre os mais indicados para a TPM estão o hipericum perfuratum, os complexos de vitamina B6, triptofano, taurina e cálcio e magnésio quelados, a passiflora e o óleo de prímula.

- Em 90% dos casos, as compulsões podem ser resolvidas com a associação de medicamentos e boa alimentação. Geralmente quem tem compulsões fortes deve procurar o médico para investigar a causa, que pode ser física ou psicológica. Quando ela é descoberta, a boa alimentação e os suplementos vão ser os aliados para manter a paciente estável - resume Tércio Rocha.

Fonte

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger