quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Fuja da ressaca!

Vale a pena ter dores de cabeça, enjôo e náuseas? Se a resposta for sim, então preste atenção em algumas dicas para evitar esses problemas todos quando você enfiar o pé na jaca

Daqui para frente é só festa. Do trabalho, dos amigos da faculdade, da família... e você anda colocando o pé na jaca? Acordou se sentindo mal, depois de beber demais na noite anterior? A cabeça parece que vai estourar e suas roupas estão molhadas de tanto suor... É, a ressaca é cruel. O álcool desidrata o corpo e elimina os sais minerais do organismo, causando as dores de cabeça. A bebida também aumenta a acidez do sangue (conhecido como acidose), gerando os enjôos e a sudorese excessiva.

“A ressaca acontece porque o álcool ingerido vai direto para fígado, onde é metabolizado. De lá passa pela corrente sangüínea, e por fim, chega ao cérebro, estimulando a produção de algumas substâncias que geram desconforto”, acrescenta a nutricionista Cristiane Novatto, da Clínica Dicorp (RJ).

Uma ressaca normalmente não dura mais do que 24 horas, mas se isso acontecer e você toma porre com freqüência, é melhor procurar um médico. Os sintomas podem aparecer algum tempo depois do último gole ou no outro dia. “As bebidas alcoólicas provocam muita secreção gástrica e irritação no fígado, queimação e náuseas. Além do mais, ocorre um tipo de inchamento na cabeça, causando dores”, acrescenta a nutricionista.

A ressaca é perigosa e causa desidratação e desconforto gástrico. A primeira sugestão que te damos se você, digamos, bebeu além da conta é: vomite. Sentiu vontade, coloque tudo para fora. Isso irá te ajudar muito, pois faz com que seu corpo se livre das toxinas que o prejudicam. E de nada adianta ingerir uma aspirina, que também prejudica o organismo.




Para evitar, o melhor mesmo é não beber em demasia. Mas se você quiser amenizar seus efeitos, siga nossos conselhos:

- Coma antes e durante a bebedeira. O corpo precisa de energia para limpar o álcool que você mesmo ingeriu.
- Alterne a bebida com água ou refrigerante. Isso ajuda a não desidratar o organismo.
- Tome uma colher de azeite antes de beber. A gordura forma uma capa protetora da mucosa do esôfago e do estômago, diminuindo a absorção e a agressão do álcool nestes tecidos.
- Perceba os seus limites. As pessoas possuem resistências diferentes ao álcool - umas mais sensíveis, outras mais tolerantes.

Alguns passos para aliviar:
- Ao acordar, beba dois copos de água - isso ajuda a melhorar a desidratação causada pelo álcool.
- Repouse, repouse e repouse. O descanso ajuda a amenizar.
- Tome suco de laranja ou de tomate. Eles contêm um açúcar chamado frutose, que acelera o metabolismo do álcool no organismo.
- Ou então, tome sucos de mamão, maçã, pêssego ou pêra, que são depurativos e hidratantes.
- Se preferir, beba café, uma ou duas xícaras. A cafeína produz vasoconstrição (contrai os vasos sangüíneos dilatados do cérebro), fazendo com que você se sinta melhor. Só não exagere na dose: o café funciona como diurético e você pode ficar ainda mais desidratado.
- Faça uma alimentação leve e de fácil digestão, afinal, o seu organismo já trabalhou demais para processar o álcool.
- Para rebater, coma uma tigela de canja de galinha, que ajuda a repor o potássio e o sal perdido pelo corpo durante a ingestão de álcool.
- Se preferir, tome uma vitamina de banana, que também repõe o potássio. Adicione duas colheres de sopa de mel no preparo e potencialize a ação da fruta.
- Evite contato com a luz. A ressaca aumenta a sensibilidade à luminosidade.
- Não tome nada de sucos ácidos e vitaminas à base de leite.
Fonte: Livro 1.001 Remédios Caseiros - Tratamentos confiáveis para promover a sua saúde no dia-a-dia, da Seleções Reader’s Digest, e Cristiane Novatto, nutricionista.

Consumo seguro
Para você não dar vexame nas festas de final de ano e nem nas outras que virão, tome apenas duas doses (30g) por dia de álcool (se for homem) ou apenas uma dose (15g) para as mulheres. Isto significa que um homem pode consumir por dia duas latas de cerveja ou duas taças de vinho ou duas doses de destilados e a mulher, metade disso. Importante: o limite diário nunca muda.


EFEITOS NO CORPO
Os principais efeitos do álcool ocorrem no sistema nervoso central, onde suas ações ficam parecidas com as dos anestésicos. Os efeitos do álcool nas pessoas são bem conhecidos e incluem: dificuldade para falar, tontura, falta de coordenação motora, aumento da autoconfiança e euforia.

O efeito sobre o humor varia de pessoa para pessoa, e a maioria delas fica mais barulhenta e desinibida, além de perder a capacidade de raciocinar logicamente. Esses efeitos favorecem os derrames e podem levar à demência.

O álcool também contribui para a retenção de líquido, o que pode provocar hipertensão e predispõe a problemas cardiovasculares, como arritmias e infarto. O fígado é outro órgão bastante afetado pelo álcool. Além da cirrose causada pelo uso abusivo, que é um bloqueio dos canais sangüíneos, a bebida também pode levar a uma hepatite alcoólica, que deixa cicatrizes permanentes e pode matar.

Inflamações no pâncreas também podem ocorrer. As gastrites e úlceras, bem como a dificuldade de absorção de nutrientes, são outras ameaças ao corpo de quem bebe. Por fim, o excesso de álcool leva à disfunção erétil no homem e a alterações hormonais na mulher, que podem provocar infertilidade.

Importante: grávidas não devem ingerir álcool em hipótese alguma, pois podem comprometer o desenvolvimento da criança ou induzir a um aborto.

Por Katia Deutner para o itodas

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger