sábado, 8 de dezembro de 2007

Armadilhas domésticas

A mãe escolhe feijão na mesa de casa, enquanto o filho brinca com os grãos. A cena parece coriqueira, mas por pouco não acabou em tragédia. A criança, de pouco mais de um ano, colocou um grão na boca e caiu da cadeira. Com o tombo, aspirou a semente, que se alojou no pulmão.
Poucos pais consideram a possibilidade de que possa acontecer uma coisa dessas. Mas é bom ficar atento.
Em função desse acidente doméstico, a criança ficou internada na UTI do Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, e pode ficar com seqüelas neurológicas.

Os acidentes domésticos têm uma participação expressiva nas internações e óbitos de menores de 14 anos, segundo mostram as escassas - e genéricas - estatísticas. As quedas foram responsáveis por 55% da internação de menores de 14 anos em hospitais do país em 2005, segundo dados mais recentes do Ministério da Saúde, que indicam a morte de 310 desses pacientes. Estima-se que pelo menos a metade delas seja decorrência de acidentes domésticos.

Em Santa Catarina não há dados que espelhem com fidelidade a extensão desse problema. De acordo com a coordenadora nacional da ONG Criança Segura, Luciana OReilly, nem o Ministério da Saúde pode precisar o número de acidentes domésticos infantis. Mas o médico pediatra Austregésilo da Silva, com a experiência de 28 anos de trabalho no Hospital Infantil Joana de Gusmão, diz que uma média de quatro crianças são internadas por dia na instituição devido a acidentes caseiros, de variados níveis de gravidade.

- Em uma ocasião, nesta época do ano, uma criança de mais ou menos cinco anos mordeu uma lâmpada da decoração de Natal, e a parte metálica foi parar no pulmão, obrigando a remoção de mais da metade do órgão - lembra Austregésilo, alertando para o perigo.

O médico ressalta que as quedas são as ocorrências mais comuns, podendo causar de simples fraturas a problemas graves como traumatismo craniano e lesões na coluna. Em seguida, aparecem as queimaduras. Cerca de 90% dos internados no Joana de Gusmão na ala de queimados atualmente são vítimas desses acidentes, como Gleidson Soares da Cruz, de dois anos.

Imitar super-heróis, uma brincadeira muito perigosa

Gleidson brincava de motoca no quarto, enquanto sua mãe fazia a limpeza. De repente, ela ouviu o grito do filho, que havia levado um choque ao pegar um pedaço de fio desencapado. Gleidson teve queimadura de terceiro grau na mão devido ao choque.

Depois das queimaduras, aparecem a ingestão e aspiração de corpos estranhos. Moedas e outros pequenos objetos, quando aspirados, podem provocar asfixia ou se alojarem no pulmão. Se ingeridos, podem ficar no esôfago, com risco de perfurar o canal de acesso ao estômago.

Segundo Austregésilo, também é comum, porém menos perigoso, que as crianças coloquem objetos no ouvido e no nariz, o que geralmente exige extração no hospital.

Por último, aparecem as intoxicações por ingestão de medicamentos, cosméticos, produtos de higiene e limpeza ou até veneno, e os afogamentos, mais comuns no Verão. A cada temporada, o Hospital Infantil registra no mínimo uma internação por afogamento em piscina de casa.

Para Luciana OReilly, é comum que os adultos considerem a casa um lugar seguro. Ela chama atenção para o fato de muitos pais não reconhecerem as armadilhas que o ambiente doméstico pode esconder, e aconselha que eles busquem informações sobre o assunto antes mesmo do filho nascer.

- As crianças não se protegem se não tiverem orientações dos pais, porque não reconhecem os perigos, nem o significado da morte.

Luciana ressalta que é preciso garantir um ambiente seguro para os pequenos exercerem a criatividade, e ficar atento para não dar oportunidade às costumeiras imitações das peripécias de seus heróis na TV.

Preste atenção

Na cozinha
Nunca deixe uma criança só na cozinha
Facas devem estar fora do alcance dos pequenos
Deixe fósforos, álcool e isqueiros em lugares inacessíveis para crianças
Não deixe panelas com cabos virados para fora do fogão
Verifique sempre os botões do fogão e as mangueiras do gás
Prenda as portas para evitar o fechamento brusco
Deixe comidas e bebidas quentes longe das crianças
Caso algum objeto quebre, retire a criança do local e recolha os cacos usando luvas e pá
Molhe um pedaço de papel e passe no chão para apanhar cacos menores

Na piscina
Nunca deixe crianças sozinhas perto das piscinas
Em casa, coloque tela de proteção ou grade em volta da piscina
Toda vez que a criança for nadar coloque bóias

Na lavanderia
Não deixe as crianças subirem no tanque
Deixe o ferro de passar fora do alcance delas
Não deixe produtos de limpeza em locais acessíveis
Nunca armazene os produtos de limpeza em frascos de bebidas
Mantenha vazios os baldes e tanques para evitar que a criança se afogue

Na sala e nos quartos
Não ande de meias no chão encerado
Esteja atento, porque é comum a criança puxar para si televisores e estantes na tentativa de escalá-los
Cubra as tomadas e fios desencapados
Evite utilizar móveis com quinas pontiagudas
Se houver tapetes soltos, aplique antiderrapante embaixo
Instale redes ou grades de segurança nas janelas e sacadas
Mantenha longe objetos que possam ser utilizados para ter acesso às janelas
As escadas da casa devem ser equipadas com barreira lateral e corrimãos
Cuidado com peças decorativas que possam ser quebradas ou engolidas

No banheiro
Não suba no vaso sanitário
Coloque piso antiderrapante, principalmente no box do chuveiro
Não saia de perto da criança enquanto estiver em banheiras, bidês ou bacias
Observe a temperatura da água antes de colocar a criança na banheira ou no chuveiro
Aquecedores e secadores de cabelo têm que estar secos, desconectados da tomada e bem guardados
Mantenha medicamentos, cosméticos e produtos de higiene fora do alcance dos pequenos

Nos idosos
Não use cama muito alta. Sugere-se uma altura que a pessoa possa firmar bem os pés antes de se levantar
Instale interruptores próximos à cama para evitar movimentação no escuro
Instale tomadas na altura dos interruptores para que as pessoas não tenham que se abaixar muito para alcançá-las
Coloque pisos antiderrapantes e tapetes fixos no chão dos aposentos
Previna quedas instalando barras de apoio no banheiro perto do vaso e no box
Substitua degraus por rampas de inclinação leve

Por MARIANA ORTIGA no Diário Catarinense

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger