sábado, 10 de novembro de 2007

Doce notícia: chocolate emagrece!

Chocolate é um alimento irresistível mesmo. Ainda bem que a ciência sempre está descobrindo benefícios dessa maravilha à saúde. O segredo está no cacau, que contém uma alta concentração de flavonóides, substância responsável por verdadeiros milagres em nosso corpo. Por isso, o chocolate amargo (que tem mais cacau em sua fórmula) é a sua melhor escolha. Além de delicioso, ele:

AJUDA A EMAGRECER:
Uma pesquisa dinamarquesa estudou dois grupos de voluntários. Um deles ingeria uma barrinha de chocolate amargo diariamente pela manhã e o outro grupo, a versão ao leite. Quem consumiu o tipo amargo fi cou satisfeito e parou de beliscar entre as refeições. Por aqui, há a suspeita de que algumas substâncias do chocolate diminuem a vontade de comer.

PROTEGE O CORAÇÃO:
Uma pesquisa alemã acompanhou pacientes hipertensos, divididos em dois grupos. Uma turma consumiu diariamente uma barrinha de chocolate amargo, enquanto a outra a mesma quantidade do tipo branco. Depois de 18 semanas, quem comeu chocolate amargo estava com a pressão mais baixa e, com isso, a chance de sofrer derrame ou infarto caiu cerca de 18%.

REDUZ O DIABETE 2:
Os japoneses investigaram o papel da procianidina, um componente do cacau, no controle do diabete tipo 2. Os testes, feitos em roedores diabéticos que consumiram 100 gramas de cacau todos os dias, constataram que as taxas de açúcar no sangue dos bichos caíram. O resultado garante o mesmo com humanos.

Outros benefícios do chocolate para sua saúde...

Aumenta a imunidade
Na Espanha, um estudo feito pela Universidade de Barcelona avaliou o efeito dos flavonóides no sistema imunológico de ratos jovens durante três semanas. Segundo os pesquisadores, houve um aumento de atividade dos linfócitos T, célula que defende o organismo contra vírus e bactérias.

Estimula a memória
Chocolate amargo e exercícios físicos ajudam a estimular a memória. A responsável é uma substância do cacau chamada epicatequina, segundo o estudo publicado no jornal americano The Journal of Neuroscience.

Ana Maria

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger