quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Apague a TPM da sua vida

Dietas, plantas medicinais, homeopatia... Especialistas apontam maneiras de eliminar a dor e o desconforto do período pré-menstrual.

Todo mês é a mesma história: alguns dias antes de menstruar, você suporta dores de cabeça e nas mamas, inchaço nos pés e mãos, cólicas, alterações de apetite e no sono, além de ficar irritada, deprimida, ansiosa e de sofrer drásticas mudanças de humor. Ou seja, um ou outro sintoma físico e psíquico - ou vários juntos - da tensão pré-menstrual, a famosa e insuportável TPM, dão o ar da graça.
Acredite, evitar essa tortura mensal não é uma missão impossível e está ao seu alcance. Para ajudá-la nessa tarefa, consultamos especialistas de diversas áreas. Então, conheça os métodos que prometem varrer esses dias difíceis da sua vida.

Pílula:
Nem as mais otimistas mulheres sonhavam com um contraceptivo capaz de evitar a gravidez e de combater a TPM ao mesmo tempo. Ele existe e tem nome: YAZ®. Essa pílula, cuja composição é derivada da progesterona, diminui a retenção de líquido e alivia o inchaço. Também reduz as alterações hormonais e as mudanças de humor. Cada cartela tem 24 comprimidos.

Dieta:
• O excesso de sal deve ser evitado, pois aumenta a retenção de líquido.
• Por elevarem a serotonina, conhecida como hormônio do prazer, as massas e chocolates podem gerar impressão de necessidade contínua de consumo e falsa sensação de bem-estar. Se não quer engordar, evite-os!
• Chá, café e refrigerante ficam longe do cardápio, pois são ricos em xantinas, substâncias que agravam a irritabilidade e as alterações de humor.
• A soja tem de fazer parte da sua rotina. Rica em isoflavonas, diminui a dor nas mamas e o "peso" da pelve.

Homeopatia:
A irritabilidade e as enxaquecas fortíssimas levam muitas mulheres a buscar conforto nesse método. Especialistas analisam diferentes características dos sintomas e os associam a preferências alimentares, temperamento, constituição física e comportamental do paciente. O tratamento visa a cura, ou seja, os remédios não são paliativos para aliviar problemas temporários.

Plantas medicinais:
O tratamento natural ganha cada vez mais espaço. Entre as plantas mais indicadas, destaca-se o vitex, inibidor do hormônio capaz de estimular o ovário, reduzindo o inchaço e a irritabilidade. Já a angélica chinesa, também conhecida como dongkuai, combate as cólicas. Mesmo as opções naturais de medicamentos devem ser prescritas por um especialista.

Remédios:
Os casos mais graves são tratados com antidepressivos. Eles aumentam o nível de serotonina e combatem as alterações de humor. Doses entre 300 mg e 600 mg de vitamina B6 também são suficientes para combater as mesmas manifestações, porém, em estágio mais ameno. Outra saída são os implantes e dispositivos intra-uterinos, contraceptivos inibidores do ciclo menstrual. Sem o ciclo regular, a mulher não sofre com os sintomas.

Acupuntura:
Para diminuir os sintomas, as agulhas são usadas em todo corpo. Existe uma tendência em colocá-las no abdômen e na pelve quando a paciente manifesta dores nessas regiões. Elas são espetadas em pontos da pele para estimular positivamente o organismo. O tratamento é eficaz contra irritabilidade, dor de cabeça e alteração de comportamento.

Autor: Fabricio Pellegrino

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger